mar

Hay 672a

.

cavalgam-se os corpos

como se cavalga o destino

.

há algo de mar

entre o ir e vir do tronco

e a flexão dos pés

que de seguida

se curvam

num gemido

de dedos esticados e abertos

a oferecer-se

à exploração das unhas

.

no lago de todos os fluidos

a vagina será sempre um porto seguro

mar

sabem a sal os teus pés

hay 602

ele disse:

sabem a sal os teus pés

é deles o travo das conchas

e da areia húmida

para que a língua

se demore e se perca

no desenho esbelto de cada dedo

.

sabem a sal os teus pés

e ao rasto deixado na praia

que o mar

num desejo arrebatado de espuma

levou para as ilhas mais longínquas

do poente

.

sabem a sal os teus pés

quando os lábios os tocam de mansinho

quando o suor

em ondas desabridas

inunda cada poro

do corpo que apetece

.

sabem a sal os teus pés

memória frágil

de uma lágrima andarilha

sabem a sal os teus pés