tela

Hay 632a

transforma-se a pele numa tela

ou na parede de um fresco

dentro de um palácio abandonado

.

primeiro o suor

depois o sangue

desenham os motivos

as formas

os caracteres

que o brilho do esperma

ainda morno

tornará sagrados

.

será depois

a vez da língua

que tudo mistura

e apaga

como faz o mar

aos traços

inscritos

no areal da praia

tela